Refugiados sírios de Miranda do Corvo sem eletricidade e água por não pagarem renda

Refugiados sírios de Miranda do Corvo sem eletricidade e água por não pagarem renda

Nesta segunda-feira, três famílias de refugiados sírios ficaram sem eletricidade e sem água nas suas habitações. Instalados em Miranda do Corvo em habitações da Fundação Assistência para o Desenvolvimento e Formação Profissional (ADFP), duas famílias informaram que não têm dinheiro para pagar a renda.

Segundo o presidente da ADFP, o programa de apoio já terminou e “de acordo com as regras, cada família deve autonomizar-se e passar a pagar renda de casa, água, eletricidade e as suas despesas. Terminou o prazo e três famílias recusaram-se a sair, embora uma delas já tenha dito que vai sair”. Jaime Ramos salienta que, se não tiverem trabalho, “a Segurança Social continua a dar apoio numa perspetiva humanitária”.

Um dos refugiados sírios informa que não consegue encontrar trabalho e que “não estamos a conseguir arrendar apartamento porque nos pedem 500 e 600 euros de mensalidade”. Por sua vez, temem o frio previsto para os próximos dias, visto que os apartamentos têm muita humidade nas paredes e nos tetos.

Deixe um comentário