Raríssimas. Ex-presidente exige 147 mil euros à associação por ter sido despedida

A ex-presidente da Raríssimas está a exigir 147 mil euros à associação por considerar que o seu despedimento foi ilegal.  De acordo com o jornal o ‘Público’, a ação de Paula Brito e Costa contra a Raríssimas, interposta há um ano no Tribunal de Trabalho de Loures, vai mesmo a julgamento.

A Raríssimas já tinha processado  a ex-presidente num outro tribunal onde exigiam a devolução de 384 mil euros, por gestão danosa e gastos de luxo injustificados. Porém, Paula Brito e Costa não só não pretende pagar esse valor , como pede agora uma indemnização por considerar que o seu despedimento foi ilegal.

De acordo com a mesma publicação, o início do julgamento marcado para esta quarta-feira foi suspenso porque se aguarda a transferência da ação da associação, no Tribunal Cível de Loures, para uma eventual junção num único processo.

 

 

You may also like...