Promessas quebradas: Mulheres espancadas e crianças reféns no Afeganistão

Os adolescentes são obrigados a usarem mochilas armadilhadas e as mulheres que tentam fugir do país são violentamente agredidas.

As mulheres e crianças que tentem fugir do país são espancadas e chicoteadas. O movimento radical está a controlar a estrada que dá acesso ao aeroporto e estão a verificar os documentos de quem por ali passa.

O The Guardian revela ainda imagens de uma mulher e de uma criança com ferimentos na cabeça após terem sido, alegadamente, espancadas quando tentavam fugir.

Um jovem de 17 anos conseguiu fugir às mãos do grupo extremista e contou o terror que viveu à AFP. Abdullah foi raptado com mais três ou quatro dezenas de jovens, alguns com 14 anos.

“Pediram-nos que pegássemos nas armas e nos juntássemos às suas fileiras”, começou por contar, revelando que foi forçado a atirar granadas e incitado a atacar uma esquadra da polícia.

“Estava a tremer. Nem sequer conseguia segurar na arma”, contou. Dois ou três meninos morreram quando as mochilas que carregavam explodiram, outros ficaram sem braços ou pernas.

O jovem conseguiu fugir quando a confusão se instalou e encontra-se agora com a família na esperança de conseguir sair do país. Revela ainda que tem muitas dores de estômago devido à violência que sofreu às mãos dos soldados.

Também é notícia: Vídeo mostra talibãs a usar ginásio do palácio presidencial

Também é notícia: Afeganistão. Talibãs armados divertem-se nos carinhos de choque e nos carrosséis