Pinto da Costa arrasa “Para ver espetar facas em animais já se pode ir, para ver um jogo não”

O Presidente do FCP, Pinto da Costa esteve reunido com os elementos da comissão de candidatura para festejar o 29.º título nacional e o apoio recebido durante as eleições. “É um jantar sobretudo de confraternização, pois esta comissão liderada pelo Fernando Cerqueira foi incansável, tanto na angariação de assinaturas, que foram uns milhares, como depois, no próprio ato eleitoral contribuiu muito para que ele fosse exemplar. Toda a gente reconheceu que foi uma prova de civismo e democracia fantásticos nos tempos difíceis que atravessamos e por isso, tive a oportunidade de confraternizar com eles e agradecer todo o seu empenho.

Ao mesmo tempo, estamos a festejar mais um título, o 29.º título do F. C. Porto, que é sempre um motivo de satisfação para todos os portistas, que é também o principal para todos estarmos aqui. Onde está um portista, está um dragão. E um dragão tem força por definição. Tenho muito prazer em confraternizar, pois é gente que trabalha sem qualquer recompensa que não seja a amizade, que eu retribuo a todos e que sei que têm por mim e muito me honra. É apenas um convívio informal, mas onde vivemos um momento feliz. Contra tudo e contra todos, depois de ter sido previsto solenemente por um pateta qualquer, que o campeonato estava entregue ao fim da primeira volta e nós demonstrámos, com o espírito de dragão, todos, treinadores, jogadores, dirigentes e adeptos, que afinal de contas o título não estava entregue e viemos a vencê-lo com todo o mérito”, explica Pinto da Costa.

No próximo sábado irá ocorrer a final da Taça de Portugal e o Presidente do FCP fez questão de abordar esse importante evento. “Espero o mesmo de todos os jogos em que entramos, espero vencer. Sabemos que não se vence sempre, não há nenhuma equipa do Mundo, por mais forte que seja, que vença todos os jogos. Nós esperamos sempre vencer o próximo, que é a final da Taça. Vamos disputá-la com esse espírito para poder oferecê-la aos adeptos que, infelizmente e injustificadamente, não podem estar no estádio Cidade de Coimbra, o que é uma coisa inacreditável.

Quando vinha para aqui vi num canal televisivo que vai haver uma tourada com 50% de público, Portanto é inacreditável que para ver espetar facas em animais já se pode ir, para ver um jogo de futebol ao ar livre não pode ir ninguém, é lamentável, mas estamos em Portugal e manda quem pode e não podemos fazer nada. Estraga a festa do futebol. Desde pequeno sempre ouvi dizer que a Taça era a festa do futebol. Agora uma festa sem convidados é como um baile sem bailarinos ou sem orquestra. Falta realmente o sal e a vida ao espectáculo”, disse.

You may also like...