Ordem dos Médicos vs Covid-19 “Antes de salvarmos restaurantes, temos de salvar os portugueses”

Numa entrevista para a SIC Notícias, o coordenador do gabinete de crise da Ordem dos Médicos, Filipe Froes afirmou que Portugal ainda não está a enfrentar a fase crítica da pandemia Covid-19.

“Não estamos na fase crítica. Isto vai continuar a subir. Estamos numa fase ascendente da segunda onda que não sabemos quando acaba, onde acaba e como acaba… temos de começar a fazer um esforço enorme para tentar achatar a curva.

Quanto mais tarde adiarmos as medidas que temos que fazer mais tarde começaremos a achatar a curva”, destaca Filipe. No ponto de vista dos profissionais de saúde, é prioritário a “coesão nacional na adoção das medidas que têm de ser coerentes, claras e uniformes para esmagar a curva.

Mas antes de salvarmos restaurantes ou hotéis, temos de salvar os portugueses, porque sem portugueses, não há atividade… estamos numa fase exponencial em que o fim ainda não se vê. Devíamos estar a pensar em medidas para a possibilidade dos 10 mil casos diários e 100 óbitos por dia e, provavelmente, mais de 500 internamentos em cuidados intensivos. Isto é uma situação de quase rutura do Serviço Nacional de Saúde.
Chegámos aqui porque desvalorizamos, provavelmente, a pandemia, não tirámos as devidas ilações da primeira onda e não tivemos capacidade de interpretar os sinais que foram aparecendo em agosto, setembro e sobretudo no início de outubro… devíamos estar atentos e antecipar em termos de preparação.

Não tivemos capacidade de ler o que estava a acontecer, planeámos mal, não nos antecipamos, e agora estamos em plena segunda onda com uma diferença: o outono vai a meio e o inverno ainda não chegou”, explicou.

You may also like...