Isabela Cardinali admite “Aos 15 anos apaixonei-me por uma mulher”

Na passada terça-feira (28 de junho) assinalou-se o Dia Internacional do Orgulho LGBT e várias celebridades partilharam o seu testemunho, entre as quais Isabela Cardinali, ex-concorrente da Casa dos Segredos 7.

“Sim, eu amo pessoas. E amar nunca fez mal a ninguém. A minha história com a homossexualidade é muito feliz. Desde cedo que perguntava à minha mãe porque é que o meu tio não tinha namorada aos 30 e poucos anos e ele aconselhou a minha mãe a dizer a verdade. Aos 3/4 anos quando me respondeu que o meu tio gostava de rapazes senti-me justificada, e só isso. Cresci com a normalidade do amor. Aos 13 anos a minha melhor amiga disse ao mundo o quanto gostava da sua nova companheira.

Aos 15 anos apaixonei-me pela primeira e última vez por uma mulher. Contei aos meus pais assim que me apercebi, como se fossem os meus melhores amigos. Apoiaram-me e aconselharam-me exatamente da mesma forma como se me tivesse apaixonado por um homem. Até ao Pedro tinha sido o amor da minha vida. Nunca nos escondemos. Nunca deixamos de namorar em público. Nunca deixei de publicar o que fosse com ela e nunca tive de dar explicações a quem fosse acerca da minha relação.

Acredito que a evolução estará sempre na educação que damos às nossas crianças. E se em 2002/2003, quando a minha mãe me contou que o meu tio preferido gostava de ‘meninos’, a minha reação foi tão natural e ingénua, como é sempre numa criança, não acredito que em 2021 ainda há adultos que não consigam perceber o que é amar”, revela.

You may also like...