Tony Carreira assina contrato exclusividade

Família Carreira vai passar a dar a cara pelo canal

Tony Carreira assinou um contrato de exclusividade com a TVI e deu uma entrevista a José Alberto Carvalho. De lembrar que em 2019, no documentário com o nome Tony, o cantor tinha dito que se regressasse iria dar muito poucas entrevistas.

Esteve desde essa altura afastado dos palcos, a pensar no seu futuro… mas a vida deu muitas voltas. Perdeu a sua princesa e agora refugia-se na música. Vai regressar com um novo disco e com um contrato de exclusividade dom a TVI, depois de ter vivido uma “zanga” (alegadamente) com Cristina Ferreira que é uma das administradoras do canal.

A informação oficial dá conta do acordo em que “fazem parte vários projetos para a TVI e a participação do artista em várias ações do canal”.

Luís Cunha Velho, CEO da Media Capital falou do acordo “Este acordo constitui uma enorme mais valia para a estação e irá permitir-nos concretizar projetos que serão de extrema importância para o canal. O Tony Carreira é um artista muito acarinhado por todos na TVI e estamos confiantes de que, juntos, faremos um ótimo trabalho. Já temos alguns projetos estruturados e, no momento oportuno, falaremos sobre cada um deles. Para já, estamos muito entusiasmados por podermos acompanhar o regresso do Tony Carreira aos palcos”.

Tony tem já vários concertos agendados para os próximos tempos: Coliseu de Elvas (16 outubro), Multiusos de Guimarães (30 outubro), Super Bock Arena no Porto (6 novembro) e Altice Arena em Lisboa (27 novembro).

Tony Carreira assina contrato com TVI

Entrevista Tony Carreira à TVI

Entretanto deu uma entrevista a José Alberto Carvalho, na noite de quinta-feira durante o Jornal das 8, dizendo que este recomeço é vital, que precisa mesmo dele, pois muitas vezes não sabe onde está (de lembrar a morte da sua filha mais nova, Sara Carreira num acidente de automóvel).

“É vital, preciso mesmo. Durante o dia, levanto-me muito cedo, sete e meia da manhã estou a pé e começo a trabalhar. Isso ajuda-me bastante. Quando a cabeça começa [a pensar em coisas más]… à noite é o pior, continuo, como disse… o acordar é mil vezes pior. É sentir-me perdido, muitas vezes não sei onde estou! Mas é assim. Esta quantidade de concertos foi pedida por mim. No próximo ano são muitos concertos. São 25 concertos num mês, na tournée francesa, depois Portugal, Suíça, Bélgica, Estados Unidos da América, Canadá. E se houver possibilidade de cantar no Gana, também lá vou (risos). Quero cantar, cantar, cantar”, disse.

Recordou ainda um hábito sobre o episódio que o marcou… “No sítio onde a minha filha teve o acidente fatal, durante umas semanas tinha o hábito de lá ir por uma vela. Um dia… punha o carro mesmo na berma da estrada, no limite, confesso, de algum perigo, coloco uma vela e passa um camião por mim, a apitar. Faço o que tinha para fazer, sigo viagem e o camião continua a apitar. Pensei: ‘Bem que cromo, deixem-me estar’. Irritei-me e saí na bomba de gasolina de Aveiras e o camião vem atrás de mim. O que acontece é que há um casal que baixa o vidro e diz: ‘É simplesmente para lhe dar um abraço’. Desses exemplos já tive milhares deles. Espero nunca desiludir os portugueses. Adoro ser português”.