Sara Carreira: investigações do acidente podem mudar

Relatório final do acidente que vitimou Sara Carreira ainda está nas mãos da GNR e não terá ainda sido entregue ao Ministério Público, como foi adiantado há alguns dias. Entretanto, segundo o CMJornal apurou, junto da GNR e PJ, o SUV seguia a velocidade excessiva, perante as condições da via e da meteorologia.

Entretanto, Hernâni de Carvalho, revelou na TV Mais que foi pedida uma nova prorrogação do prazo. “Ainda não há resultado final sobre a velocidade a que seguiam os carros [envolvidos no acidente, ocorrido a 5 de dezembro do ano passado]. As perícias do Laboratório de Polícia Científica (LPC) feitas às centralinas [dispositivo eletrónico que pode aferir a velocidade e as travagens] dos carros envolvidos foram inconclusivas. A GNR está a ultimar em laboratório as conclusões sobre perícias feitas recentemente na A1 … por via destes testes do LPC não estarem ainda concluídos”.

Ou seja, continuam muitas dúvidas no ar… pois segundo fonte ligada ao processo, o carro conduzido por Ivo Lucas seguiria a uma velocidade entre os 140 e 160 km/h!

Entretanto, apenas agora se soube que o condutor do primeiro carro apresentou uma taxa de alcoolemia de 1,35g/l! um teste feito 5 horas após o acidente… “O acidente que provocou a morte de Sara poderia vir a provar-se ter começado numa negligência tida na via direita da autoestrada, por quem não estava na plena posse das suas faculdades para conduzir”.