Médico doa rim a desconhecido

Foi a primeira vez em Portugal.

Assim que se apercebeu que encaixava no perfil necessário para doar um órgão a um desconhecido, Domingos Machado, não hesitou, deixando de lado a sua profissão como médico e passando a ser um cidadão que quer dar um órgão a outra pessoa.

Em entrevista, explicou “À cabeça, ter uma saúde geral bastante boa – que é, felizmente, o meu caso – e também ter os dois rins a funcionar de maneira simétrica. Quando percebi que estava nessas condições, então, deixei de ser médico [e] pus-me na posição de um cidadão que quer dar um órgão a outra pessoa”.

Domingos Machado teve de passar por uma avaliação clínica e psicológica, de modo a se perceber se não havia (outros) riscos associados ao procedimento clínico. O transplante acabou mesmo por ocorrer, com sucesso, no Hospital de São João, no Porto.

Com esta ação, foi possível que dois doentes fossem retirados da lista de espera. Três dias depois, Domingos Machado saiu do hospital com a ‘missão’ cumprida.

 

You may also like...