Passaporte Covid já em unho

Viajar vai ser mais fácil com o Passaporte Covid! E segundo consta estará pronto já me junho, e dá-se pelo nome de Certificados Verdes Digitais, ficando à espera de aprovação legislativa. É um processo seguro e escalável entre países e o certificado será partilhável entre países e se cada Estado quiser, pode ser usado em concertos.

Os Certificados Verdes Digitais (CVD), serão os vulgos passaportes Covid Europeu, e servirão para permitir a circular livre entre os países. Estão a ser ultimados e poderão ser colocados em prática já em junho por cada país. Portugal faz parte do segundo grupo de países que vai ter testes a decorrer no final deste mês, e espera-se que o processo seja rápido e encriptado.

 

Na prática, servirá para simplificar o acesso à informação de cada cidadão e facilitar viagens entre países, saber-se-á se já foi vacinado, se teve teste PCR negativo ou se recuperou da infeção Covid-19!

São 3 as plataformas que irão ser usadas para se conseguir salvar o verão a nível de turismo. São eles: a app para os cidadãos, a app de verificação (para as entidades competentes) e o sistema para passar os certificados.

Como funcionará o sistema?

Os certificados (passaportes covid) europeus são gerados quando os cidadãos os pedem e fazem uso dos sistemas de informação já existentes do Serviço Nacional de Saúde de cada país onde já estará o registo de quem foi vacinado, testado ou teve covid – em alguns Estados membro são emitidos automaticamente, não é necessário qualquer pedido (não deve ser o caso nacional).

Tudo indica poderão ser emitidos por hospitais, centros de testes e autoridades de saúde e em alguns países também será em farmácias.

Os cidadãos vão depois ter acesso ao certificado em papel ou no formato digital (na app) e mostram-nos sempre que as autoridades com apps para os ler os solicitam, neste caso para viagens (não substitui os documentos de identificação), mas pode ser usado noutras circunstâncias – a decisão será de cada Estado membro. O código QR gerado contém informações essenciais, bem como um selo digital, para garantir a autenticidade do certificado.

Uma das hipóteses é o uso para concertos ou festivais de música, por exemplo – aí os organizadores têm de solicitar acesso às apps de verificação (e respetivas chaves públicas de acesso) ou a pessoas autorizadas para verificar os certificados.

Certificado de vacinação dá para seis meses

Há ainda grandes dúvidas sobre a eficácia no tempo das vacinas. Ainda assim os responsáveis comunitários que ouvimos admitem que, para já e seguindo as indicações da autoridade de saúde europeia, quem for vacinado deverá ter cerca de seis meses para viajar, mas tudo pode mudar dependendo de novos dados e da legislação que for aprovada.

Já sobre as viagens de crianças ou adolescentes com menos de 18 anos, a exigência de testes ou vacinação dependerá de cada Estado. Certo é que se for preciso certificado, os pais podem ter o certificado dos filhos (em app ou em papel).

 

 

 

You may also like...