Marques Mendes diz que escolas reabrem na segunda quinzena de março

No Jornal da Noite da SIC, Marques Mendes, defendeu que o Estado de Emergência se irá manter até à Páscoa. Defendeu ainda que o desconfinamento irá ter que ser baseado num “equilíbrio”, e que os primeiros níveis de ensino deverão reabrir a na segunda quinzena de março, e depois com condições de testagem e rastreio no país em geral, especialmente nas escolas.

Criticou ainda o facto de o Governo ter prometido fazer mais testes à Covid-19 e não o estar a fazer. Depois, por base em dados da ECDC (Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças), mostrou que Portugal está a reduzir o número de testes diários, sendo agora o 17º país da União Europeia. “Isto é um enigma. Como é que se prometeu investir em mais testes e o resultado é exatamente o contrário? Tenho dificuldade em perceber, mas espero que o Governo explique”.

 

Quanto ao deconfinamento, que o Governo apresentará a 11 de março, considera que os discursos do PR e o Primeiro Ministro são diferentes… complementares, diz mesmo. Pois, dá razão a Marcelo que não podemos abrir agora no início de março, para voltar a confinar na Páscoa e depois desconfinar.

Mas também dá razão a Costa ao querer anunciar um plano de desconfinamento daqui a 15 dais. Tem assim que ser encontrado um equilíbrio entre as palavras dos dois.

Equilíbrio que deverá ser assente em 3 questões… “O Estado de Emergência vai ter de manter-se, mais coisa menos coisa, até à Páscoa (..) para que a Páscoa não tenha as mesmas consequências do Natal. Mas tem de ser um Estado de Emergência com uma modelação um pouco diferente”.

Na segunda quinzena do mês poderá haver um pequeno desconfinamento, ou seja, o início do desconfinamento com a abertura de algumas escolas (creches, jardins de infância e 1.º ciclo”.

E por fim, “é preciso criar todas as condições para que a testagem e o rastreio, no país em geral, mas também dentro das escolas, sejam efetivados”.

 

You may also like...