Ex-namoradas homicidas do Algarve pedem ADN de inspetores da PJ

As presumíveis responsáveis pelo homicídio de Diogo Gonçalves no Algarve, pediram o ADN de inspetores da PJ para comparar com novos vestígios encontrados no carro da vítima, que fora assassinado e desmembrado.

A iniciativa partiu da defesa de Maria Malveira, que interpôs um requerimento ao Tribunal de Portimão para ser analisado o perfil de ADN dos inspetores da PJ que estiveram a cargo do caso. Segundo apurado pelo CM, o pedido ocorreu depois de terem sido encontrados dois perfis de ADN em duas beatas de cigarro que estavam no interior do carro de Diogo Gonçalves (usado pelas alegadas homicidas para transportar o corpo desmembrado), com o objetivo de se despistar eventual envolvimento de uma terceira pessoa.

 

Um pedido que surge na reta final do julgamento do caso, tendo a última sessão ficado adiada pelo facto de ter sido encontrado tal ADN pertencente a um outro homem que não Diogo Gonçalves.

 

You may also like...