Maria Cerqueira Gomes em sofrimento

Mudança para Lisboa, devido à sua carreira profissional, deixou marcas a nível pessoal. Diz ela que falhou para com a filha Francisca aquando da mudança para Lisboa, “Foram facadas! Foram facadas diárias”, revelou a apresentador em conversa com Cristina Ferreira.

Já por várias vezes que Maria revelou que a vinda para Lisboa para apresentar o Você na TV ao lado de Goucha não foi fácil. Especialmente para os filhos, e para a sua relação com o ex-marido (foi a distância que levou à separação).

 

Foram facadas! Foram facadas diárias. A sorte era estar tão absorvida, que só me deparava com aquele momento de solidão ao entrar em casa. E eu entrava em casa tão cansada… Custava-me muito o momento de entrar em casa e não ouvir a palavra ‘mãe’”, disse.

Ela diz ter percebido estar a falhar como mãe. Diz ter falado várias vezes com a filha sobre a mudança para Lisboa, sendo que na verdade estava era mais preocupada com o filho mais novo. “Ainda hoje me perguntou: ‘Vais para Lisboa?’ e vê isto de forma mais natural”.

Ela, que eu julgava que era grande, que tinha a capacidade de me dizer: ‘preciso de ti’, de me ligar… A certa altura percebi que estava a falhar quando ela me disse que eu entrava em casa e ia direta ao João. E eu percebi que estava a falhar. Fiz-lhe muito mais falta a ela do que fiz ao João”.

Ela nunca se confrontou com certas coisas e eu sei que houve coisas que a magoaram. E é tudo muito difícil. A certa altura percebi: ‘Eu quero fazer televisão, mas até que ponto quero fazer televisão neste sítio?”.

Separada dos pais dos filhos, diz que ainda mantém um bom relacionamento com os dois. “Ia mesmo ao fim do mundo pelo Gonçalo e pelo António”, dizendo mesmo que “Penso sempre que eles preferem pais separados e felizes e calmos”.

E defendeu a guarda-partilhada “Estão os dois comigo e com os pais. Está muito bem organizado. Mas é o que é. Penso sempre que eles preferem pais separados e felizes e calmos, e em paz, do que pais juntos sem afetos, sem toque”.

Não ter falhado em termos de afeto com os meus filhos, porque isso marca sempre. É uma grande preocupação. Aprendi muito tarde com a Francisca a tocar, a dizer ‘amo-te’. Eu não era assim. Aprendi com a vida e estou a fazer tudo certinho com o João”.

 

You may also like...