Ex-presidente da Raríssimas quer uma indemnização superior a 147 mil euros

De acordo com o Público, a ex-Presidente da Associação Raríssimas, Paula Brito e Costa está a exigir mais de 147 mil euros de indemnização. A antiga líder da Raríssimas pretende impugnar o seu despedimento, considerando-o ilegal.

Por sua vez, também quer a devolução de 384 mil euros que a instituição lhe exige. Em fevereiro de 2019, Paula Brito e Costa deu entrada no Tribunal de Trabalho de Loures e já ocorreu uma primeira audiência em dezembro.

Atualmente, o julgamento encontra-se suspenso, uma vez que se está a aguardar a transferência da ação que a Associação Raríssimas colocou contra a antiga líder no Tribunal Cívil de Loures.

You may also like...