Ciganos exigem habitação condigna “autêntica entulheira, cheia de ratos”

Ciganos exigem habitação condigna “autêntica entulheira, cheia de ratos”

Numa manifestação junto da Câmara Municipal de Maia, elementos da comunidade cigana da Rua das Lagielas exigiram realojamento em casas municipais. “Vivemos há sete anos em contentores sem condições, isolados e sem contacto com a restante comunidade”, diz José Rossio.

Durante 60 anos, esta comunidade cigana residiu num acampamento no Lidador. “Fomos realojados nestes contentores e sempre pensamos que era uma solução provisória. Acontece que estamos lá há sete anos, numa autêntica entulheira, cheia de ratos”, acrescenta.

A comunidade cigana considera que está a ser discriminada e “queremos que os nossos filhos e netos crescem com os outros meninos e que haja troca de experiência e cultura entre todos os habitantes. Por isso exigimos ser realojados em casas camarárias misturados com a restante população”.

Na verdade, são 150 pessoas a residir em dez contentores. Muitos deles estão doentes e “vivem numa zona isolada, entre o campo de jogos de Pedras Rubras e a pista do aeroporto, em evidente segregação”.

Deixe um comentário