As 48 perguntas da PJ às quais Kate McCann nunca quis responder! FINALMENTE REVELADO!

O ex-diretor executivo do Centro de Proteção Infantil e Proteção On-line (CEOP), Jim Gamble suspeitou “Estatisticamente falando, é mais provável terem sido os pais ou alguém próximo da criança”.

Ao fim de 100 dias do desaparecimento, as acusações ao casal começaram a escalar. Gonçalo Amaral recorda “Saíram dali para outro apartamento ainda a dormir” e o pai de Maddie admitiu que lhe pudesse ter dado Calpol (medicamento para ajudar a dormir). No dia 4 de setembro, as autoridades portuguesas encontraram vestígios de s1ngue na mala do carro dos Mcc Cann e Kate foi chamada para prestar declarações na PJ de Portimão.

O interrogatório durou cerca de 11 horas e Kate recusou-se a respondê-las. É constituída arguida! Eis as questões que não foram respondidas:

1. No dia 3 de Maio de 2007, pelas 22h00, quando entrou no apartamento, o que viu, o que fez, onde procurou, o que manuseou?
2. Procurou dentro do armário do quarto do casal? (disse que não respondia)
3. (Exibidas duas fotografias do armário do seu quarto) Pode descrever o seu conteúdo?
4. Por que razão o cortinado por detrás do sofá defronte da janela lateral (cuja fotografia lhe foi exibida) está mexido? Alguém passou por detrás desse sofá?
5. Quanto tempo demorou a busca que fez no apartamento a seguir à detecção do desaparecimento da sua filha Madeleine?
6. Por que disse desde logo que Madeleine fora raptada?
7. Partindo da premissa de que a Maddie havia sido raptada, por que deixou os gémeos sozinhos em casa para ir ao Tapas para dar o alarme? Até porque o suposto raptor podia ainda estar no apartamento.
8. Por que não perguntou aos gémeos, naquele momento, o que havia acontecido à irmã ou por que não lhes perguntou mais tarde?
9. Quando deu o alarme no Tapas o que disse concretamente e quais as palavras?
10. O que aconteceu depois de dar o alarme no Tapas?
11- Por que foi avisar os seus amigos em vez de gritar da varanda?
12. Quem contactou as autoridades?
13. Quem participou nas buscas?
14. Alguém fora do grupo, nos minutos seguintes, ficou a saber do desaparecimento de Maddie?
15. Alguma vizinha lhe ofereceu ajuda após o desaparecimento?
16. O que significa a expressão ‘we let her down’?
17. A Jane referiu-lhe ter visto um homem com uma criança naquela noite?
18. Como foram contactadas as autoridades e que força policial foi avisada?
19. Durante as buscas, e já com a presença policial, em que locais foi procurada Maddie, como e de que forma?
20. Por que é que os gémeos não acordaram durante essa busca ou quando foram para o piso superior? 21- Para quem telefonou após os factos?
22. Ligou para a SKY News?
23. Sabia do perigo de ligar para a Comunicação Social, porque isso podia influenciar o raptor?
24. Pediram a presença de um padre?
25. Qual o modo de divulgação do rosto de Madeleine, se fotografia, se outros?
26. É verdade que durante a busca ficou sentada na cama de Maddie sem se mexer?
27. Qual o seu comportamento naquela noite?
28. Conseguiu dormir?
29. Antes da viagem a Portugal fez algum comentário sobre um mau pressentimento ou um presságio?
30. Qual o comportamento de Madeleine?
31. Maddie sofria de alguma doença ou tomava medicação?
32. Qual o relacionamento de Madeleine com os irmãos?
33. Qual o relacionamento de Maddie com os irmãos, amigos e os colegas de escola?
34. Quanto à sua vida profissional, em quantos e em quais hospitais trabalhou?
35. Qual a sua especialidade médica?
36. Trabalhava por turnos, em urgências ou noutros serviços?
37. Trabalhava diariamente?
38. Em determinada altura deixou de trabalhar? Porquê?
39. Os filhos gémeos têm dificuldade de adormecer, são irrequietos e isso provoca-lhe intranquilidade?
40. É verdade que em certas alturas se sentia desesperada pela atitude dos filhos e que isso a deixava muito intranquila?
41. É verdade que em Inglaterra chegou a pensar entregar a guarda de Madeleine a um familiar?
42. Em Inglaterra, dava medicação aos filhos? Que tipo de medicação?
43. No auto foram-lhe exibidos filmes de inspecção cinotécnica, com carácter forense, onde se pode observar a marcação por parte destes relativamente a indicações de odor a cadáver humano e vestígios hemáticos também humanos e somente de carácter humano, bem como todos os comentários do perito responsável. Terminada a visualização, e após sinalização de odor de cadáver no seu quarto junto ao armário e por detrás do sofá encostado à janela da sala de estar, disse que não podia explicar nada mais do que já referira?
44. Também foi assinalado, pelo cão de detecção, sangue humano por detrás do sofá. Disse que não podia explicar nada mais do que já referira.
45. Assinalado o odor de cadáver proveniente da viatura que alugaram um mês depois do desaparecimento disse que não pode explicar nada mais do que já referiu?
46. Assinalado o sangue humano na mala do veículo disse que não pode explicar nada mais do que já referira?
47. Confrontada com o resultado da recolha de ADN de Maddie, cuja análise foi efectuada por um laboratório britânico, por detrás do sofá e da bagageira do veículo, disse que não pode explicar nada mais do que já referira?
48. Teve alguma responsabilidade ou intervenção no desaparecimento da filha?

You may also like...

Deixe uma resposta