Americanos adotam criança africana pobre e descobrem que ela tinha uma família

Nos EUA, cerca de um milhão de casais aguardam que o processo de adoção de uma criança seja concluído com sucesso, Isto equivale a 36 casais para cada criança que é colocada para adotar.

Desesperados, uma família procurou uma alternativa: a European Adoption Consultants (EAC), com sede em Ohio. Ora, eles estavam longe de imaginar os segredos que essas crianças foram forçadas a manter para si próprias.

Adam David e Jessica adotaram uma criança ugandense de 5 anos em 2015. Embora já tivessem quatro filhos, eles ainda tinham imenso amor para oferecer a um órfão. De acordo com a EAC, o pai de Namata já tinha morrido e a mãe estava a negligenciá-la severamente em casa. Ou seja, dava a entender que criança tinha sido abusada e passava fome.

Passado 6 meses na nova casa, o inglês de Namata melhorou significativamente e a criança acabou por revelar o segredo: a menina sentia falta da mãe e disse que já tinha uma família que a fazia muito feliz, a qual a levava para a escola todos os dias.

“O único trauma pelo qual esta criança passou foi porque nós praticamente encomendámo-la. Ela estava em casa e feliz com a sua mãe, até que eles a selecionaram para nós”, revela Adam. Por sua vez, a mãe biológica de Namata acreditava que a sua filha estava a ser patrocinada por um casal americano durante um ou dois anos, onde receberia uma maravilhosa educação antes de regressar a casa.

Após ser partilhada esta história, o Departamento de Estado descobriu mais adoções fraudulenta e o suficiente para encerrar definitivamente a EAC para sempre.

You may also like...